caderininho Carrie Bradshaw da vida real – Minha matéria com Lalá Noleto na Glam*

*Mês passado foi publicada na Revista Glam uma matéria que fiz com a blogueira Lalá Noleto quando ela esteve em Natal participando de um evento. Eu já “conhecia” Lalá de outra vez que ela veio a Natal para o casamento de uma amiga. Deixei um exemplar da revista Salto Agulha com ela e algumas comidinhas potiguares, como castanha de caju e bala de coco =). Ela foi super atenciosa, me ligou para falar da revista e mantivemos contato pelo twitter desde então. Daí ela veio para o lançamento de uma das coleções do estilista Wagner Kalieno e eu paroveitei para bater um papo com ela e escrever sobre toda essa história de blogs, blogueiras, moda e comunicação. O resultado – para quem ainda não viu na revista – foi esse aí embaixo ;)

Escrever, comprar sapatos e frequentar fashion shows.

Essa era, basicamente, a rotina de Carrie Bradshaw no seriado Sex and the City, e um estilo de vida que passou a ser o sonho de muitas mulheres. Quem não daria todos os tesouros (incluindo os guardados no closet) para  viver frequentando os melhores eventos de moda, escrever sobre eles e ainda ganhar dinheiro pra isso? Todo mundo, né? Até porque o closet seria rapidamente reabastecido com os presentes que você ganharia das marcas.

Antigamente, ser jornalista de moda era o posto que mais se aproximava do sonho “estilo Carrie Bradshaw de ser”. Hoje, o cargo de blogueira é o que carrega todas essas expectativas. Lalá Noleto é uma das blogueiras mais conhecidas do país. Por causa do blog, está sempre viajando para participar de lançamentos, desfiles e inaugurações. Ela esteve em Natal para o lançamento da coleção do estilista Wagner Kalieno. Tudo muito corrido, agenda apertada, outros eventos em outras cidades à espera da blogueira.

O roteiro varia pouco: chegada, “almocinho” num restaurante charmoso de cada cidade, presentes esperando no hotel, salão de beleza, cabelo, maquiagem, escolha do look do evento, aparição pública, conversa com as fãs, fotos, fotos, fotos e, ufa!,  aeroporto de novo. Tudo devidamente registrado no Instagram e os melhores momentos em post no blog depois.

Entre a escova e a maquiagem na cadeira do salão de Abiss, conversei com Lalá para entender como a menina que escrevia blogs por hobby na adolescência fez disso sua profissão, e como funciona a engrenagem dos blogs de moda hoje no país.

Do direito à moda

Marcela Noleto nasceu em Goiânia, é formada em direito e chegou a trabalhar  em um dos maiores escritórios de advocacia da cidade. Quando criança, sonhava em ser dona de uma loja de vestidos de noiva. Vem de uma família de médicos e o vestibular para medicina também foi uma opção. Acabou passando para direito e seguindo a carreira jurídica, mas em pouco tempo percebeu que não identificava com a profissão. Não se via trabalhando por muito mais tempo naquilo.

Desde adolescente gostava de ler e escrever blogs. Sempre foi comunicativa, e adorava moda. A história de Lalá começou a tomar outro rumo quando ela conheceu algumas pessoas que trabalhavam na revista Contigo!. Querendo mudar de profissão, fez uma proposta para escrever uma página sobre moda na revista, em formato de blog. O projeto foi aceito e, ainda morando em Goiânia, começou a escrever para a revista.

Depois de um tempo colaborando de longe, a Contigo! reformulou o site e Lalá ganhou espaço também na página da revista na internet. Foi o momento em que ela se mudou para São Paulo e passou a colaborar também com outras publicações, como a Playboy. No site da Contigo! Lalá assinava um blog que passou a fazer muito sucesso entre as leitoras. Assim nasceu o Blog da Lalá.

O blog Falava de moda, e, principalmente, decifrava os looks das famosas. Sempre que alguma atriz aparecia usando um vestido deslumbrante, era correr pro Blog da Lalá e ter a certeza de que ela iria descobrir de onde era a peça e informar às leitoras. “No fundo eu gosto mais de comunicação do que de moda”, costuma dizer Lalá.

Algum tempo depois o blog havia crescido tanto, que chegara a hora da blogueira caminhar sozinha. Hoje o Blog da Lalá faz parte também do F*Hits, um grupo que se define como “A primeira prime network de moda do Brasil”. Noves fora o estrangeirismo, é uma rede que faz a ponte entre as marcas de moda e os blogs. Os clientes da rede aparecem nos blogs das meninas em eventos e “looks do dia” e as leitoras que se encantarem pelas peças podem adquiri-las em apenas um clique, na F*Hits Shop.

Hoje quando não está blogando, Lalá está… Blogando! “Não desligo do blog. Nossa, eu acho que eu só faço isso mesmo: pensar e trabalhar para o meu blog”, conta a moça que diz não ter um hobby específico, e trabalhar todos os dias da semana – menos no domingo. Lalá conta que não imaginou nem planejou essa trajetória, e que não tinha o objetivo de ter o blog como sua profissão. “Eu sempre achei que ia viver de revista. Sou uma pessoa de pouco planejamento, as coisas vão acontecendo e eu vou acompanhando. Sempre gostei de escrever e queria viver disso, o que aconteceu com o blog não foi planejado”, explica.

Talvez esse tenha sido o grande pulo do gato das blogueiras que dominam o mercado hoje. Sem imaginar exatamente onde iam acertar, elas atiraram com mais desprendimento, cada uma à sua maneira. O mercado foi mudando e o hobby ganhou a possibilidade de ser negócio.

Atualmente surgem novos blogs todos os dias e a maioria deles tem o claro objetivo de ser como Lalá e suas companheiras do F* Hits. São blogs que já nascem com suntuosas festas de inauguração e Media Kit pronto. Geralmente não dá certo. O blog não “pega”, não tem naturalidade. Lalá acha que é aí que as novas blogueiras erram. “Acho muito difícil acontecer o que aconteceu comigo de novo com outra pessoa. Na situação atual ela vai ter que ralar muito ou ser uma pessoa já conhecida, porque o mercado já está estabelecido”, opina.

Então, no mar de possibilidades que é a internet, não haveria mais espaço para novos blogs de moda? “Espaço existe sim, mas para coisas diferentes. O grande erro é que tem muita gente começando querendo fazer exatamente igual ao que já existe”, completa.

Não é à toa que as meninas querem copiar as blogueiras. Os blogs estão cheios de anunciantes e a maioria das moças aparenta – pelo menos na internet – ter um padrão de vida muito mais alto que a população “normal” brasileira. Afinal, vestem marcas caras, viajam com frequência ao exterior e frequentam lugares luxuosos. Um tempo atrás a revista Veja publicou uma matéria com a blogueira Lalá Rudge, dizendo que ela chegava a faturar R$ 100.00 por mês com o blog. A notícia rendeu muito bafafá e a blogueira depois disse que a revista não foi fiel às suas declarações. As moças não falam em números de seus faturamentos, mas a imaginação das aspirantes a blogueiras vai longe e só cresce o número de meninas que querem ser ricas e famosas através de um blog de moda.

Vivendo exclusivamente do blog hoje, Lalá Noleto conta que nunca prospectou clientes e que nega parceria com marcas que ela acha que não têm o perfil de seu site. “Nunca fui atrás de cliente nenhum. Eles que sempre me procuraram. E se a marca não tem a ver comigo, eu não aceito. Já neguei muitas parcerias para ser fiel ao estilo do blog e para não soar fake”, conta.

Sobre a relação com as colegas de profissão, ela diz que, ao contrário do que se pensa, as blogueiras se dão muito bem e são companheiras. “Não existe isso de rivalidade, as meninas se dão muito bem. Começou todo mundo meio que ao mesmo tempo, então todo mundo tinhas mesmas dúvidas, passava pelas mesmas situações e a gente se ajudava”, explica. É ifícil para quem está de fora imaginar tamanha cordialidade num universo onde pulsam vaidade, ego e dinheiro, como é a mídia de moda hoje.

Chega ao fim a escova da blogueira e também é o fim da nossa conversa. Ela tem que correr. Vai posar para fotos e seguir para o aeroporto. Descansar quando chegar em casa? de jeito nenhum! Tem mais compromissos do blog esperando. Tudo muito rápido, acelerado. Assim como a moda e as transformações que os blogs promoveram na roda da comunicação.

Comentários

Comentários

2 thoughts on “Carrie Bradshaw da vida real – Minha matéria com Lalá Noleto na Glam*

  1. “Acho muito difícil acontecer o que aconteceu comigo de novo com outra pessoa. Na situação atual ela vai ter que ralar muito ou ser uma pessoa já conhecida, porque o mercado já está estabelecido”, opina.
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Fala sério, vai se achar assim lá longe

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>