arte_icon Que tal ver os designers da Hermés trabalhando AO VIVO em São Paulo?

São Paulo é uma cidade que oferece tantos programas interessantes ao mesmo tempo, que muitos passam batido. Não é raro eu ficar sabendo de uma exposição já no fim ou até mesmo depois de ter acabado.

E isso quase ia acontecendo de novo. Soube do Festival des Métiers na segunda-feira e na terça corri pra lá, já que o evento acaba no próximo domingo, dia 08/06. OU SEJA, se você está lendo isso agora e mora em São Paulo, corra pra o Museu de Arte Brasileira da FAAP!

Mas eu falei isso tudo e não contei o que é esse Festival des Métiers...

A FAAP tem um núcleo bem forte de estudos de moda e design e trouxe o festival para que os alunos pudessem ter contato com o trabalho dos designers da Hermés, uma das marcas mais famosas do mundo, que tem esse status justamente pelo trabalho minucioso e exclusivo que desenvolve há mais de um século.

A Hermés começou em 1837 em Paris, produzindo selas e arreios para cavalos. Depois passou a confeccionar outros itens em couro e hoje a marca é a mais pura tradução do que é luxo: peças produzidas em pequenas quantidades, com muito esmero, feitas uma a uma e, claro, com valores altíssimos.

Na exposição aqui em São Paulo os visitantes podem ver vários desses artigos de luxo sendo feitos ao vivo. Podem tocar, perguntar, participar, entender o processo e sair achando que, com o trabalho que dá, nem é tão caro assim pagar 20 mil numa bolsa (mentira, é caro sim, mas eu fiquei tão encantada com o trabalho dos artesãos que estou achando os preços até ok. Afinal, alguns lenços de seda podem levar até dois anos para ficarem prontos, como vou mostrar a seguir)

A primeira peça que parei pra ver foi a bolsa Kelly. Ela tem esse nome em homenagem à Grace Kelly, que era amante incondicional do modelo.

Uma Kelly Bag leva cerca de 18 horas para ser montada. Uma coisa que me deixou surpresa é que ela é toda costura à mão! Em momento nenhum tem uma máquina ajudando ou acelerando o processo.

Quando cheguei lá o artesão estava com várias peças de couro, que pareciam pedaços de tecido, e começou a montagem da bolsa. É tudo muito minucioso e o controle de qualidade é super rígido. Em vários momentos ele ficava lá passando a lixa e eu pensando “gente isso já tá ótimo, já pode parar” mas o cara tem um olho treinadíssimo para imperfeições e nenhuma pode passar.

bolsa kelly hermés hermés em são Paulo Ela é tão bem costurada, à mão, vou dizer de novo, que no final, depois que tudo se encaixa, parece que ela foi “colada” ou sei á o que. A costura é discretíssima e os acabamentos são surreais de tão perfeitos.

Depois de ver uma das bolsas mais famosas do mundo sendo feita na minha frente, eu já estava bem admirada com o talento de quem consegue pegar uma matéria prima do zero e transformar em algo tão lindo.

Mas aí fui ver como são feitos os lenços e, minha gente, é de chorar!

IMG_8642 IMG_8635

O trabalho começa com um designer freelancer, que desenvolve uma estampa para a Hermés. Ele entrega o desenho num papel e essa moça que está trabalhando na foto faz um trabalho dificílimo: ela passa o desenho do designer para os fotolitos que vão ser usados na impressão da seda.

Ela tem que redesenhar com perfeição todos os detalhes e nuances da estampa original. E para ter a precisão de cores e detalhes da estampa, ela faz até 39 telas. Esse trabalho demora cerca de 700 horas. SETECENTAS HORAS, meu bem. Se você trabalhar oito oras ininterruptas nisso dá quase 3 meses de trabalho! Isso para fazer a estampa de UM LENÇO.

Outra coisa incrível foi ver a montagem de um relógio e também o trabalho de uma ourives que estava fazendo um bracelete cravejado de diamantes minúsculos, usando um microscópio.

A precisão do trabalho dessa moça era incrível! E ela nos convidou para olhar a peça através do microscópio e ter a visão que ela tem na hora de trabalhar. Foi a primeira vez que eu vi diamantes no microscópio :)

IMG_8672 IMG_8675 IMG_8659 IMG_8656

IMG_8632

Dá pra ver que meu olhinho tava brilhando?  Fiquei muito emocionada com tudo aquilo. Deve ser porque não sei fazer nada nessa vida que eu acho a coisa mais linda do mundo que saber costurar/bordar/pintar/desenhar… FAZER coisas. É mágico pegar um pedaço de couro e transformar isso num objeto. Queria demais ter esse dom!

Se você também quer ver isso de pertinho, corre que ainda dá tempo! O Festival des Métiers fica até o domingo, dia 07/06, no Museu de Arte Brasileira da Faap, na rua Alagoas, 903, Higienópolis.  A entrada é gratuita!

Mais informações no site do evento.

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>